Arquivos de Tag: poesia

Fotografia e Poesia – O Sertão de Ariano

regra04

Não troco meu “oxente”

Pelo “ok” de ninguém

Esse tal de rocambole
Esfirra, nissin, miojo
Quer-me ver cuspi com nojo
Ofereça-me um rizole
Prefiro uma fruta mole
Beliscada do vem-vem
Feijão de corda xerem
Canjica com leite quente
Eu não troco meu oxente
Pelo ok de ninguém

Tomar wiski importado
Na taça pra ser bacana
Sou mais um gole de cana
Num caneco enferrujado
Não sou muito refinado
Nem tenho inveja também
Druris conhaque almadem
Prefiro minha aguardente
Eu não troco meu oxente
Pelo ok de ninguém

Esses verbetes do inglês
Que usam no dia a dia
Não me trazem simpatia
Estragam meu português
Vou ser sincero a vocês
Sou muito mais meu quinem
Adonde, prumode, eim?
Acho mais inteligente
Eu não troco meu oxente
Pelo ok de ninguém

Eu não falo REDBUL
Prefiro touro vermelho
MIRROR pra mim é espelho
BLUE BIRD pássaro azul
Bonito e não BEAUTIFU
Falo dez em vez de TEN
BABY pra mim é neném
E HOT pra mim é quente
Eu não troco meu oxente
Pelo ok de ninguém

Não gosto de pancadão
Nem de RAP improvisado
HIP HOP pé quebrado
Sem métrica e sem oração
Sou muito mais gonzagão
No forro do xem nhem, nhem
Gosto de aboio e também
De um baião de repente
Eu não troco meu oxente
Pelo ok de ninguém

Autor desconhecido

Anúncios

Fotografia e Poesia

conceitual3

Os deslimites da palavra

(Manoel de Barros)

 

Ando muito completo de vazios.

Meu órgão de morrer me predomina.

Estou sem eternidades.

Não posso mais saber quando amanheço ontem.

Está rengo de mim o amanhecer.

Ouço o tamanho oblíquo de uma folha.

Atrás do ocaso fervem os insetos.

Enfiei o que pude dentro de um grilo o meu destino.

Essas coisas me mudam para cisco.

A minha independência tem algemas

Um poema de Licurgo Carvalho

Soneto para Natal

 

Filha de uma Mãe Luíza qualquer,

Com cheiro nobre de Alecrim,

No Potengi, nasceste uma mulher,

Espraiada numa Cidade Jardim.

 

Mundana com os gringos na Ribeira,

No Beco, enche a cara de poesias e lama,

E sob a leveza de uma brisa costeira,

Oração ébria na candelária de quem ama.

 

Aventuras descabidas nas dunas do Tirol,

Cidade de esperança no oculto feminino,

Felações permitidas no concreto Mirassol.

 

Menina de Ponta Negra, crescida no carnaval,

Formidável comborça nas ruelas das Rocas,

Eterna noiva cascudiana, teu belo nome é Natal.

 

*Licurgo Carvalho, 2006.

Três poemas de Chico Doido de Caicó

Sou doido por mulher
Sou doido por cachaça
Sou doido pra gastar dinheiro
Sou doido por uma bunda
Sou doido por Caicó
Sou doido pelo mar
Sou doido por violão e lua cheia
Sou doido por uma conversa de bar
Sou doido por arribaçã
E sou doido propriamente dito

xxxxxxx

A rapariga que eu mais quis bem
Me dava dinheiro
Me dava cigarro
Me dava cafuné
Me dava cachaça
Me dava embalo na rede
Me dava tudo
Só não me dava o cu.

xxxxxxx

Homem com homem
Mulher com mulher
Pessoa com pessoa
Tudo vale a pena
Se a foda não é pequena.

(no livro “69 poemas de Chico Doido de Caicó”. Natal, Editora Sebo Vermelho, 2002)

Como se Fala em Natal

ap_ibsen7

A entrada de Natal com o estádio Arena das Dunas em destaque.

O músico e poeta Cleudo Freire lançou um livro chamado “Papo Jerimum-  Dicionário Rimado de Termos populares”, pela Editora Sebo Vermelho, em 2006. Desse livro, surgiu o poema “Como se Fala em Natal”, retirando as mais autênticas expressões do dia-a-dia dos natalense.

Como se fala em Natal

(Cleudo Freire)

Cabra posudo é gabola
Otário é abigobel
O chato é galado
Puxa-saco é xeleléu

Cabra alto é galalau
Botão de som é pitoco
Se é muito miúdo é pixototinho
Se for resto é catôco

Tudo que é bom é massa
É arretado, é primêra
Tudo que é ruim é peba
Também pode ser reiêra

Moça nova é boyzinha
Mulher solteira é caritó
A que é galinha é enxirida
Lança-perfume é loló

Ponta de cigarro é piúba
Bordel se chama berel
Longe de casa da mãe patanha
É lá na casa de chapéu

Rir dos outros é mangar
Mexer os quartos é mengar
Quem observa fica cubando
Faltar aula é gazear

Quem é pálido é impalemado
Quem é franzino é xôxo
O bobo se chama leso
O medroso se chama frouxo

Pernilongo é muriçoca
Chicote se chama açoite
Quem entra sem licença, imbioca
Sinal de espanto é vôte

Tá com raiva, tá invocado
Vou sair, diz vou chegar
Caba sem dinheiro é liso
Dar um amasso é sarrar

Muita coisa é ruma
Se tá folgado é folote
Pouca coisa é um tico
Uma turma é um magote

O tímido é bisonho
Tá de fogo, tá melado
O surdo se diz môco
Quem tem sorte é cagado

Pedaço de pedra é xêxo
Ladrão pequeno é xexêro
O mesquinho é amarrado
Caba safado é fulêro

Papo furado é aresia
Caba insistente é prisiaca
Se for pior se diz frechado
Catinga de suor é inhaca

Sujeira no olho é remela
Toca-disco é radiola
Meleca se chama caraca
Peido se chama sola

Mancha de pancada é roncha
Briga pequena é arenga
Performance é munganga
Prostituta é quenga

Bola de gude é biloca
Fofoca é fuxico
Estouro é papôco
Cú, aqui se chama furico, boga, zeguedé, frinfra, anel de couro, lata de doce…

Fotografia & Poesia

ponta_chuva1

ÁGUAS

Maria Maria

 in Espartilho de Eme

Água de chuva para o corpo cansado

Água de chocalho para o pouco falar

Água de colônia para o cheiro no amor esperado

Água do açude para as partes lavar.

Água de biqueira para uma tarde de chuva em Currais

Água de choro para amaciar a dor

Água de bica para limpar os quintais

Água de rosas para chamar o amor.

Água de poço para o beijo escondido

Água de lua para fazer poesia

Água de igreja para afastar o maldito

Água de nuvem para paixão fugidia.

Água de pote para matar a sede

Água de quarta para lembrar vovô

Água de açúcar para deitar na rede

Água de saudade para molhar o cobertor.

fotografia fácil

Blog da Escola de Fotografia Áurea Fotográfica

Don Charisma

because anything is possible with Charisma

UVE

Universitários Vão à Escola

Photo Nature Blog

Nature Photography by Jeffrey Foltice

espaçoÀparte

pequena mídia de pesquisa & reflexão da ferramenta arte

StudioMe Blog

Estúdio de produção especializado em fotografia, focado na criação de imagens pra vida.

Estação Cultural

a arte em bom conteúdo

A NOTÍCIA ONLINE

Jornal Online da região fronteira oeste do Rio Grande do Sul

Luizgadelha's Weblog

Just another WordPress.com weblog

Será Mesmo um Freak Show?

projecto de colaboração entre a Casa da Música, APPC (5ªPunkada) e Dançando com a Diferença

.: SOS Ponta Negra - Natal RN •versão reduzida

Acesse o endereço oficial do BLOG: www.sospontanegra.blogspot.com | Movimento sócio-ambiental que propõe um debate amplo sobre o equilíbrio entre desenvolvimento e qualidade de vida, progresso e meio ambiente, com a população do bairro-praia Ponta Negra - Natal RN, Brasil.

Cachina's Programming Blog

Programação JAVA, DELPHI, Python & PHP

eduardafotografia

Just another WordPress.com site

A walk with my camera

all about human interests

Verve Photo- The New Breed of Documentary Photographers

Photographer and photo editor Geoffrey Hiller has created Verve Photo to feature photographs and interviews by the finest contemporary image makers today.

theuklandscape

Landscape Photography Of The UK by Norfolk Based Photographer Chris Herring

snow monkey photography

travel and street photography

%d blogueiros gostam disto: